Saúde

Sem lockdown, novo decreto entra em vigor precisando do apoio da população


Fonte: Thiago Sampaio

01/06/2020 15h53

O Governo do Estado prorrogou, por meio do Decreto nº 69.935 publicado na tarde deste domingo (31), as medidas de enfrentamento à Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, em Alagoas.

O decreto vale até as 23h59 do dia 10 de junho, podendo ser prorrogado ao final desse período. O detalhe que é que as regras para o enfrentamento da pandemia são, em sua essência, as mesmas do anterior.

O governador Renan Filho reforçou que as medidas estão sendo tomadas com base num amplo e permanente diálogo com a sociedade, entidades médicas e o setor produtivo, primando, sempre, pelo que preceitua a ciência.

Isso, claro, levando em conta o que que for aplicável, fiscalizável. Realizável. Portanto, mesmo que a ocupação dos leitos se intensifique mais ainda, uma medida mais abrupta e rigorosa, com um lockdown, ainda não seria possível em Alagoas.

Dias antes, o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, já adiantava: com quase 500 agentes de segurança afastados por causa da Covid-19, isso entre policiais militares e guardas municipais, seria muito difícil, se não impossível, realizar a fiscalização de um decreto como o lockdown, com um efetivo policial tão baixo.

E como observado de forma clara e evidente nos últimos dias, a população de Alagoas relaxou no isolamento/distanciamento. Um número ideal seria 70%, mas assim como em outros Estados, nossa população quase não passa dos 45% nos índices de distanciamento.

Ainda temos muitas pessoas fazendo questão de pedalar ou caminhar na orla. O movimento nas ruas do Centro ou feiras de rua é de uma intensidade desconcertante. E a quantidade de pessoas que insistem em deixar o nariz descoberto pelas máscaras é de dar nós na cabeça.

Portanto, mesmo com a caneta decretando toques de recolher e maiores restrições de liberdade neste momento de pandemia, sem a ajuda da população, o avanço do novo coronavírus continuaria em ritmo acelerado. E o alerta já foi dado por Alexandre Ayres, secretário de Saúde do Estado:

“As pessoas continuam insistindo em ir pras ruas, insistindo em se aglomerar, com uma falsa sensação de imunização. Isso é muito complicado, é muito sério. O poder público vem fazendo sua parte, mas o principal protagonista é o cidadão. Eu repito, se o cidadão não se conscientizar, muitos vão ficar doentes ao mesmo tempo, não teremos leitos suficientes e nós continuaremos tendo sérias dificuldades em Alagoas” Alexandre Ayres, secretário de Saúde de Alagoas.

Em tempo, segundo o boletim mais recente, Alagoas tem 10.288 casos da Covid-19 e 443 óbitos.



Compartilhe