Saúde

HE do Agreste capacita familiares de pacientes para reduzir acidentes no trânsito


Redação
Fonte: Assessoria

28/07/2017 16h10

 

Para reduzir o elevado número de internamentos de pessoas vítimas de traumas, o Hospital de Emergência Daniel Houly, em Arapiraca, aposta na educação com familiares e acompanhantes, dentro do hospital, para reduzir a grande quantidade de quedas e colisões com motocicletas.

Esses dois tipos de acidentes lideram, desde o início deste ano, as estatísticas de atendimentos no hospital.

Conforme relatório divulgado pelo Núcleo de Processamento de Dados (NPD), de janeiro a junho deste ano, foram registrados 23.634 internamentos.

Desse total, 5.224 pessoas receberam atendimento, por conta de traumas provocados em colisões ou quedas de motos.

Diante dessa realidade, o HE do Agreste, por meio do Núcleo de Educação Permanente (NEP), vem adotando um programa de formação de multiplicadores familiares para a redução de traumas que podem incapacitar ou deixar sequelas nas pessoas para o resto da vida.

Como parte do programa, segundo revela o cirurgião-geral Jean Rafael, que também é membro do Núcleo de Educação Permanente (NEP), são realizadas palestras educativas, uma vez por semana, dentro do próprio hospital.

“Sempre abordamos temas diferentes, mas que estão diretamente ligados às principais causas dos acidentes e ocorrências que provocam traumas”, relata Jean Rafael.

O médico explica que, na formação de multiplicadores familiares, são mobilizados também os acompanhantes e familiares de pacientes que são internados com ferimentos provocados por arma de fogo ou arma branca.

Jean Rafael diz que as palestras educativas tratam, principalmente, de temas como o consumo de álcool, a importância do uso do capacete e de outros equipamentos de proteção individual, educação no trânsito com crianças, como dirigir nas estradas vicinais, bem como a importância da espiritualidade e da religião na prevenção de acidentes.

Ainda de acordo com o médico, o projeto tem como propósito maior esclarecer as pessoas e, com isso, reduzir a entrada ou reentrada de traumatizados no hospital.

Desde o início do projeto, em dezembro do ano passado, até o último fim de semana, já foram formados 129 multiplicadores familiares, como é o caso da dona de casa Zélia da Silva Costa, de 30 anos de idade, que reside no Conjunto Habitacional Brisa do Lago, na cidade de Arapiraca.

Ela conta que está com uma irmã internada no hospital. Ela fraturou o osso da perna e já fez uma cirurgia, mas vai ter de ser submetida a outro procedimento. “Pior foi o que aconteceu com o meu cunhado. Ele foi vítima de dois acidentes. Na primeira vez, ele quebrou a mandíbula, mas no outro foi fatal”, lembra.

A dona de casa disse que é muito importante esse trabalho que está sendo realizado no Hospital de Emergência Daniel Houly, em Arapiraca. “Essa é uma ótima iniciativa. Muitos acidentes poderiam ser evitados, se as pessoas tivessem mais consciência do perigo do consumo de bebidas e sair dirigindo pelas estradas, colocando em risco a sua vida e das outras pessoas”, completou.

 
 
   


Compartilhe