Turismo

Alagoas bate recorde de medalhistas na Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas


Ana Paula Lins
Fonte: Agência Alagoas

28/11/2017 11h00

Alagoas teve 87 medalhistas na 13ª edição da Olimpíada de Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). O resultado foi divulgado na terça-feira (22) no site www.obmep.org.br. Das 87 medalhas obtidas, 82 são de alunos da rede pública e cinco das escolas privadas - que, este ano, participaram pela primeira vez da Olimpíada.

 

A OBMEP é uma iniciativa do Instituto de Matemática Aplicada (IMPA) que, em Alagoas, é coordenada pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), e que conta com o apoio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), do Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e das secretarias municipais. Ela visa estimular o interesse pela disciplina e revelar talentos na área.

 

Destas 87 medalhas conquistadas pelo Estado, são 4 ouros, 8 pratas e 75 bronzes. Dos 4 ouros, três são do Instituto Federal de Alagoas (Ifal) - Campus Maceió, com os alunos Leonardo Silva Marinho (ouro também em 2016), Jonatas Marinho e Rafael do Nascimento e um de João Rafael de Azeredo, do Colégio Santa Úrsula.

 


A OBMEP teve ainda 374 Menções Honrosas - quando aluno chega perto de obter uma medalha e - premiações para 19 escolas e 17 professores da rede pública. Segundo o coordenador da OBMEP em Alagoas, Adelailson Peixoto, o Estado teve um recorde de medalhistas nesta edição, com  60% dos municípios premiados com pelo menos uma Menção Honrosa.

 

 

"Tivemos um recorde de ouros, uma marca que só havíamos alcançado em 2011, e uma grande quantidade de bronzes e Menções Honrosas, o que indica que a matemática está sendo melhor absorvida e apreciada nas escolas. Vale destacar também a importância de uma Menção Honrosa, pois, para consegui-la, cada aluno precisou superar 360 concorrentes. E, nas últimas edições, muitos deles, posteriormente, tornaram-se também medalhistas", destaca.

 

Municípios que se destacaram

Peixoto aponta ainda alguns municípios que se destacaram individualmente na competição, a exemplo de Coruripe, Coité do Noia, Branquinha, Taquarana e Arapiraca. "Coruripe, foi sem dúvida, o município com o melhor resultado na olimpíada, com o maior número de medalhistas de bronze, uma prata, cinco professores e três escolas premiadas. Coité do Noia, um tradicional celeiro de medalhistas, manteve o seu bom desempenho, enquanto Branquinha tem sido uma grata surpresa, pois vem se destacando cada vez mais na olimpíada. Taquarana também tem feito um bom trabalho e Arapiraca teve mais de 150 Menções Honrosas e diversos medalhistas", enumera o professor.

 

Na rede estadual, ao todo 17 alunos da rede estadual conseguiram obter medalha de bronze na OBMEP. Três unidades tiveram mais de um medalhista: Escola Estadual Álvaro Paes, de Coité do Noia, com Maria Karla Barbosa de Lima (trimedalhista de bronze da OBMEP, sendo uma pela rede municipal e duas pela estadual) e Jardel Ramos da Silva; Escola Estadual Luiz Augusto, de Delmiro Gouveia, com os alunos Maria Luana Gomes e Ruan Lima Pinto; e o Colégio Tiradentes, da Polícia Militar, com as alunas Livia Caroline Barbosa, Nathalia Rodrigues de Aguiar (ambas da Unidade Agreste) e Chloe Sophia Golubieski (Unidade Maceió).

 

 

Foram medalhistas ainda pela rede estadual os estudantes Robert Rodrigo Oliveira, da Escola Laura Chagas (Santana do Ipanema); Luiz Victor Ferreira, da Escola Dr Paulo de Castro Sarmento (União dos Palmares); Vitor Barcelos de Cerqueira, da Escola Moreira e Silva (Maceió); Pedro Lucas Cardoso, da Escola Estadual Manoel de Matos (Santana do Mundaú); Daniel José Rocha, da Escola Nossa Senhora da Conceição (Craibas); Reginaldo da Silva Campos, da Escola Padre Teófanes de Araujo (São José da Laje); Davi Paulino dos Santos, da Escola Maria Amélia Sampaio Luz (Igaci); Elwison Silva dos Santos, Escola Fernandes Lima (Maceió); Emerson Santos da Silva, da Escola Manoel Passos Lima (Palmeira dos Índios) e Gabriel da Silva Batista, da Escola Estadual Padre Aurélio Gois (Junqueiro).

 


Ricardo Lisboa, superintendente de Políticas Educacionais da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), comemora o resultado registrado na rede estadual de ensino. "Foram 17 medalhas e 90 Menções Honrosas, algo que nunca tivemos na rede estadual", destacou.  

 

Lisboa atribui o resultado a um trabalho feito junto a professores e escolas da rede estadual. "As Olimpíadas de Conhecimentos nos oportunizam dar sequência a um trabalho continuado com os professores de matemática nas escolas e, nesse sentido, preparar os alunos. Acreditamos que a OBMEP é, acima de tudo, uma ferramenta valiosa para a disseminação e expansão da matemática. Agora, a ideia é nos prepararmos ainda mais", disse o superintendente.

 



Compartilhe