Agricultura

CSA anuncia a volta do meia Didira como reforço



14/09/2021 10h18

Enquanto o time treina por mais de uma semana para o confronto do próximo sábado (18) contra o Londrina, às 16h30min no Estádio do Café, na cidade paranaense, as informações nos bastidores azulinos correm à solta e uma delas que circulou ontem foi a volta do meia Didira que atuou no Azulão nas temporadas de 2016 e 2019 e que estava jogando no Braziliense, depois de jogar no primeiro semestre pelo Santa Cruz.

O jogador confirmou a informação de que está voltando para o ambiente azulino por onde se sagrou campeão alagoano e disputou as séries A e B. Nesta segunda (13) mesmo ele teve a volta informada pelo clube em suas redes sociais.

Pelo CSA, Didira atuou de 2016 a 2019. Conquistou títulos pelo clube e fez parte da campanha do acesso do Azulão à Série A. Ao todo, disputou 146 partidas e fez 25 gols.

Na carreira, Didira coleciona títulos pelo ASA e o CSA. Defendeu em 2011 o Atlético-MG e participou de dois jogos com a camisa alvinegra.

Também circulam informações de que nesta semana reforços serão anunciados, um deles um nome de peso no futebol brasileiro para o setor ofensivo.

ELEIÇÃO

Outro assunto comentado ontem foi a decisão do presidente do Conselho Deliberativo do CSA, Raimundo Tavares contra a prorrogação do mandato do empresário Rafael Tenório. Tavares alega que fez consultas jurídicas e recebeu pareceres contrários. “Nós recebemos do presidente do clube um ofício solicitando um estudo sobre a possibilidade de prorrogação do mandato. Isso aconteceu no dia 16 de agosto e nós, preocupados com a situação, encaminhamos a dois escritórios renomados de advocacia, com conhecimento no direito desportivo”, afirmou o presidente do conselho, que acrescentou:

“Recebemos os pareceres e estamos colocando à disposição dos senhores (conselheiros) para conhecimento desde o início, quando do encaminhamento do ofício do presidente, os dois pareceres e mais um ofício nosso respondendo ao senhor presidente-executivo da impossibilidade da prorrogação de mandato”.

 

Fonte: Tribuna Independente



Compartilhe