Entretenimento

Regina Duarte perde seguidores no Instagram e lamenta: “Onde foi que eu errei?”



09/06/2021 10h26

Ex-namoradinha do Brasil, a atriz Regina Duarte comemorou ter batido 2 milhões e 400 mil seguidores no Instagram, para imediatamente se lamentar, no dia seguinte, a perda de cerca de 100 mil seguidores.

Duarte, que trocou a Rede Globo para chefiar a secretaria especial de Cultura do governo Jair Bolsonaro (e saindo pelas portas dos fundos), ficou sem entender como conseguiu perder tantos seguidores de uma vez só.

Afirmando estar com ‘profunda dor indizível decepção’, ela se questiona diversas vezes, sem entender que seu momento se esvaiu, como o ‘pum do palhaço’. Aparentemente, ela ainda não entendeu a consequência de suas escolhas:

“Então, estou achando difícil de entender. Será que o pessoal do Instagram consegue me explicar? Devo me dirigir a quem?”, escreveu na rede social. “Deu assim: ontem, eu comemorei, toda feliz, os 2 milhões e quatrocentos mil seguidores, lembram? Hoje, amanheci com 2 [milhões e] 300 [mil]. Com profunda dor e indizível decepção, pergunto: o que será que aconteceu? Onde foi que eu errei?”

 

Fim de carreira

Após trocar 50 anos de carreira como atriz por um salário de alto escalão no governo Bolsonaro, Regina Duarte já chegou a dizer que quer voltar para a Rede Globo, emissora que ela deixou para ser secretária de Cultura e hoje sai sem nada.

O que a atriz de 74 anos conseguiu, na verdade, foi destruir qualquer tipo de reputação que tinha. E como ficou sem cargo nem mesmo na prometida Cinemateca, a atriz já vem conversando com amigos atores e até mesmo autores da Globo, afirmando que gostaria de voltar a fazer novelas, segundo o colunista Ricardo Feltrin.

Atacada por “olavistas”, sabotada por funcionários que demitiu, perseguida na internet e ofendida por ex-colegas, ela pediu pra sair. Falhando em conseguir seu projeto para Cultura, que começou com o ‘pum do palhaço’, ela agora quer voltar para onde nunca deveria ter saído. Ao menos, para interpretar vilãs beatas e obtusas, seria a escolha perfeita.

 

Fonte: Thago Sampaio 

 



Compartilhe