Esportes

CSA e CRB seguem vivos pelo acesso à Série A



24/11/2021 09h27

A matemática não permite mais que CSA e CRB subam juntos para Série A. Só resta uma vaga. Botafogo, Coritiba e Goiás carimbaram o acesso. Ficou a luta do último lugar nesse pelotão de elite para Avaí (61 pontos), CRB (60 pontos), CSA e Guarani (59 pontos). Mais confortável está o leão catarinense, que só depende de suas forças. Os demais precisam torcer pelo tropeço dos outros.

AZULÃO

O CSA encerra o Brasileiro deste ano contra o Brasil de Pelotas, domingo (28), a partir das 16h, no Estádio Rei Pelé. Para carimbar o passaporte de volta à Série A, precisa vencer os gaúchos e torcer por tropeços (empate ou derrota) de Avaí e CRB.

O time continua vivo na luta pelo acesso depois de 37 rodadas da Série B, e a motivação também passa pela matemática. Com 59 pontos e no sexto lugar, o time tem números favoráveis no returno da competição. Em 18 jogos, somou 31 pontos, aproveitamento de 57,41%. São 9 vitórias, 4 empates e 5 derrotas, com 24 gols marcados e 17 sofridos.

Em se tratando de números apenas nos jogos de volta, o CSA só perde no ranking para o Botafogo, campeão brasileiro com uma rodada de antecedência. O time carioca tem 74,07% de aproveitamento no returno da Série B.

O CSA também é agora o melhor visitante do campeonato, com 29 pontos em 19 jogos. Os números melhoraram com a vitória marcante de domingo sobre o Coritiba, por 1 a 0, no Couto Pereira.

GALO

O técnico Allan Aal terá que mexer na defesa, meio-campo e ataque. O zagueiro Gum, o volante Jean Patrick e o atacante Nicolas Careca foram punidos com o terceiro cartão amarelo na partida contra o Vitória e vão cumprir suspensão. Para conquistar o acesso, o Galo tem que vencer o Operário-PR no próximo domingo, às 16h, e o Avaí não derrotar o Sampaio Corrêa, em Florianópolis.

Aal projetou a pontuação do CRB para a última rodada do Brasileiro e disse que o time pode fazer história na competição. O próximo jogo é fora de casa.

“É uma partida que seria fundamental pra gente continuar acreditando no nosso acesso. O nosso objetivo é bater 63 pontos. Se eles vão nos permitir o acesso, é outra história. A gente tem condições de brigar pelo acesso, sabendo que não depende só de nós, mas a nossa parte vamos fazer.

Fonte: Tribuna Independente



Compartilhe