Municípios

Sindicato paralisa agência bancária em Maceió



14/01/2022 09h17

OSindicato dos Bancários em Alagoas realizou uma paralisação de advertência numa agência do Banco do Brasil no Centro de Maceió após denúncias de descumprimento de medidas sanitárias e surto de casos de Covid-19. Segundo a liderança da categoria, esta é a terceira agência da capital que passa por este tipo de intervenção.

“A categoria quando nos informa é justamente pela insegurança, a forma como o banco vem tratando todo esse processo, essa mudança de protocolo de ficar num ambiente onde houve contaminação. O ato de protesto foi no sentido de preparar a população e dar um recado que podemos realizar atos mais duradouros. Neste aspecto não foi dada nenhuma resposta e vamos continuar correndo atrás de espaços para denunciar, porque só no Banco do Brasil está havendo isso, em outros bancos quando há casos tem havido contingenciamento e só o Banco do Brasil mudou o protocolo”, afirma Juan Gonzalez presidente interino do Sindicato dos Bancários

Segundo as denúncias, mesmo após confirmação de casos, os funcionários permanecem trabalhando e sem o devido contingenciamento e higienização do espaço.

“Já fechamos duas agências do Bradesco e agora a do Banco do Brasil para que sejam adotadas as medidas de sanitização adequada e testagem de todos os funcionários. Neste caso específico, vínhamos recebendo denúncias de bancários e até de usuários sobre casos de Covid e Influenza entre os trabalhadores, muitos afastamentos e falta de cumprimento de medidas sanitárias, distanciamento. Estamos realizando essa paralisação e vamos acionar outras medidas cabíveis”, detalha.

Gonzalez pontua que os descumprimentos têm sido recorrentes dentro das instituições bancárias e que é preciso a presença da entidade sindical para que sejam adotados cuidados mínimos.

“Na situação envolvendo o Bradesco, a direção atendeu prontamente o sindicato e retirou os funcionários para sanitização e fez a testagem de todos. Não podemos dizer que eles são bonzinhos, fizeram porque foram cobrados. No caso de hoje [ontem] no Banco do Brasil sequer fomos atendidos. Por isso devemos acionar a confederação, as entidades nacionais e os órgãos competentes para que sejam tomadas providências”, diz.

Na edição de ontem, a Tribuna Independente adiantou a problemática envolvendo o aumento de casos de Covid-19 e Influenza e o risco dos profissionais de serviços essenciais.

VOLTA DO HOME-OFFICE

O Comando Nacional dos Bancários vai cobrar da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) planejamento para volta do home-office devido à recorrência de descumprimentos de medidas sanitárias em todo o país.

“Tivemos medidas fortes quando começou a pandemia. Flexibilizar as medidas protetivas neste momento é uma tremenda irresponsabilidade. Os bancos que não levarem em conta a gravidade do momento podem ser responsáveis pelo aumento da doença. Não tem sentido argumentar que os bancários não devem voltar ao home office. Vamos cobrar fortemente isso, mas também outras medidas que foram flexibilizadas, como rodízio e controle de atendimento nas agências”, diz a entidade nacional.

Fonte: Tribuna Independente / Evellyn Pimentel



Compartilhe