Nacional

Banco Central poderá ser responsabilizado pelas fraudes no pagamento com PIX



02/10/2021 11h50

Cresce o número de denúncias de golpes envolvendo o sistema de pagamento instantâneo brasileiro, o Pix. Por isso, o  Banco Central diz que atualizou os mecanismos de segurança e verificação da ferramenta.

A mais recente novidade permitirá o bloqueio e estorno de valores transferidos em casos de suspeita de fraudes.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é HEMOAL_DOACAODESANGUE_EBANNER_728x90-2-2.gif

O novo mecanismo foi liberado na última terça-feira, 28 de setembro, e caso não seja suficiente para evitar transações fraudulentas, o Banco Central poderá ser responsabilizado.

A determinação integra as alterações nas regras de funcionamento do Pix publicadas no Diário Oficial da União na última quinta-feira, 30.

Conforme a atualização das diretrizes reguladoras definidas pelo próprio Banco Central, o órgão afirma que irá se responsabilizar “por fraudes no âmbito do Pix decorrentes de falhas nos seus mecanismos de gerenciamento de riscos, compreendendo a inobservância de medidas de gestão de risco definidas”.

Como bloquear e fazer estorno de Pix enviado para conta errada?

A partir do dia 16 de novembro, as instituições financeiras que ofertem o arranjo de pagamento do Pix poderão bloquear preventivamente verbas transferidas entre pessoas físicas. O bloqueio preventivo será ofertado sempre que um dos usuários solicitar revisão da transferência por suspeita de fraude e terá duração de 72 horas.

“Esse mecanismo permite que as instituições registrem uma marcação na chave Pix, no CPF/CNPJ do usuário e no número da conta quando há fundada suspeita de fraude”, explica o Banco Central.

As informações serão compartilhadas com as demais instituições sempre que houver uma consulta a uma chave Pix, dando mais subsídios aos mecanismos de prevenção das instituições à fraude.

Fonte: É assim 



Compartilhe