Polícia

Suspeito de fraudar prova de concurso da PM é preso


Fonte: Redação com Tribuna Hoje

13/09/2021 14h59

A Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) se manifestou em nota sobre a prisão do homem preso no último sábado (11), suspeito de comemorar antecipadamente sua aprovação no Concurso da Polícia Militar de Alagoas.

O candidato que não teve a identidade revelada teria no “currículo” 7 prisões. Outro fator que chamou a antenção era a de que ele só teria a 4ª série do Ensino Fundamental.

Outra investigação que segue é sobre a possível fraude de um grupo de pessoas de União dos Palmares, cerca de 150 pessoas, que teria comprado o gabarito da prova realizada no dia 15 de agosto. As respostas corretas da prova teriam sido clonadas, e daí viria a aprovação de presidiários ou ex-presidiários.

A Seplag esclareceu em nota que fez contato com a organização do concurso para apurar os fatos, reforçando que “todo cidadão está apto a fazer a prova, desde que cumpra os requisitos previstos no edital, e que, para além dos exames, há, ainda, outras etapas eliminatórias que integram o certame”.

“A Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) informa que já entrou em contato com o Cebraspe, banca responsável pela organização do concurso da PMAL, para que seja feita a apuração dos fatos. A Seplag reforça que todo o cidadão está apto a fazer a prova, desde que cumpra os requisitos previstos no edital, e que, para além dos exames, há, ainda, outras etapas eliminatórias que integram o certame. Caso haja comprovação de que algum candidato fez uso de meio ilícito durante a realização das provas, ou que não cumpre as demais premissas do concurso, este será eliminado do processo. A Secretaria vem acompanhando de perto todas as tratativas relacionadas ao certame, no intuito de assegurar a sua lisura e, também, de garantir que o melhor quadro de candidatos seja, de fato, selecionado para apoiar o desenvolvimento do estado de Alagoas”.

CEBRASPE
“O Cebraspe informa que os procedimentos de segurança do Centro não se limitam ao momento de aplicação das provas e abrangem todas as etapas do certame. Assim, é possível a identificação e a eliminação de pessoas que possam ter se utilizado de meios ilegais mesmo após a aplicação das provas. Informa, ainda, que, conforme o edital do certame da Polícia Militar do Estado de Alagoas (PMAL), se, a qualquer tempo, for constatado, por meio eletrônico, estatístico, visual, grafológico ou por investigação policial, que o candidato se utilizou de processo ilícito, suas provas serão anuladas e ele será eliminado do concurso público. Por oportuno, esclarece-se que o Centro já se colocou à disposição da polícia e é o maior interessado em esclarecer os fatos”. 

O secretário Alfredo Gaspar de Mendonça se manifestou no Twiiter , dizendo que determinou investigação pela polícia. “Determinei a inteligência da segurança pública a investigação das notícias de irregularidades no concurso realizado para PM. Sendo confirmada, o(s) bandido(s) será(o) preso(s) e excluído(s) do certame. A SSP não faz parte do organização do concurso, mas ajudará no esclarecimento”, destacou no seu perfil. 

 



Compartilhe