Polícia

Concurso para a PM de Alagoas pode ser anulado



14/09/2021 09h03

Desde o final de semana que o Ministério Público de Alagoas (MP/AL) tem recebido um grande volume de relatos sobre possíveis irregularidades cometidas durante o concurso da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL) e informou que irá apurar as denúncias de fraude e, a depender das investigações, o certame pode ser anulado.

O promotor Jamil Barbosa informou que já estão em processo de investigação outras demandas envolvendo o mais recente concurso da PM/AL. Elas dizem respeito à taxa de pagamento das inscrições e outras situações do âmbito cível. Agora as denúncias tratam de fraude, na compra de gabaritos. Caso seja confirmada a prática, o processo retorna à Fazenda Pública Estadual, e no MP/AL pode pedir a anulação do certame.

Além da suspeita da venda do gabarito, os denunciantes afirmam que uma grande quantidade de inscritos foi aprovada sem nem sequer ter completado o Ensino Fundamental.

De acordo com as denúncias, as respostas foram vendidas por R$ 10 mil. O pagamento incluía R$ 40 mil que poderiam ser parcelados quando o policial estivesse formado.

O secretário de Estado da Segurança Pública (SSP), Alfredo Gaspar, escreveu em suas redes sociais que, apesar de a pasta não fazer parte da realização do concurso, determinou que a inteligência do órgão investigue as notícias de irregularidades ocorridas no certame.

A Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) informou através de nota que já entrou em contato com as autoridades policiais e com o Cebraspe, banca responsável pela organização do concurso da PM/AL, para que seja feita a apuração das informações repassadas sobre um suposto esquema de fraude no certame. Também informou que, caso haja comprovação de que algum candidato fez uso de meio ilícito durante a realização das provas, ou que não cumpre os demais requisitos previstos nas outras etapas do concurso, todas as medidas administrativas e judiciais serão aplicadas.

Em nota, o Cebraspe informou que os procedimentos de segurança do Centro não se limitam ao momento de aplicação das provas e abrangem todas as etapas do certame. “Assim, é possível a identificação e a eliminação de pessoas que possam ter se utilizado de meios ilegais mesmo após a aplicação das provas. Informa, ainda, que, conforme o edital do certame da Polícia Militar do Estado de Alagoas, se, a qualquer tempo, for constatado, por meio eletrônico, estatístico, visual, grafológico ou por investigação policial, que o candidato se utilizou de processo ilícito, suas provas serão anuladas e ele será eliminado do concurso público”.

CANDIDATO PRESO

Um homem, que não teve a identidade divulgada, foi preso no último sábado (11), suspeito de comemorar antecipadamente sua aprovação no Concurso da PM/AL. O candidato teria no “currículo” 7 prisões – e um outro fato que não preenche os requisitos do certame: somente a 4ª série do Ensino Fundamental.

Uma possível fraude, de um grupo cerca de 150 pessoas de União dos Palmares, também é investigada. O grupo teria comprado o gabarito da prova de 15 de agosto e as respostas corretas do exame teriam sido clonadas.

Fonte: Tribuna Independente / Thayanne Magalhães



Compartilhe