Polícia

Crime Hediondo para acidentes provocados por condutores alcoolizados


Carlo Bandeira
Fonte: Jornal de Arapiraca

13/01/2022 08h27

Justiça por Pedro Caetano e milhares de brasileiros vítimas da passividade e conivência das nossas leis.

Em Dezembro de 2021, exatamente no dia 05, Pedro Caetano, um jovem de 25 anos, solteiro, bacharel em direito, sai de Santana do Ipanema, onde deixou a sua namorada em casa.

Na volta para Palmeira dos Índios, onde reside, conduzindo seu carro, um Peugeot 207, pela Br 316, nas proximidades do município de Dois Riachos, foi subitamente surpreendido por uma ultrapassagem em local proibido que lhe pegou de frente. Era uma caminhonete D20, Chevrolet, conduzida por um motorista, proprietário do veículo.

Testemunhas alegam a embriaguez do cidadão que conduzia a caminhonete. Com ferimentos leves, o condutor da caminhonete foi atendido no local do acidente, por uma ambulância do município de Dois Riachos, e logo após, deixou o local do acidente.

Pedro desacordado, gravemente atingido, com fraturas expostas, politraumatismo craniano, torácico, membros superiores e inferiores, foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU, que foi acionado pelo casal que fora ultrapassado de forma irregular pela D20, caminhonete conduzida pelo cidadão que provocou esse grave acidente, onde os socorristas fizeram os primeiros procedimentos, conduzindo Pedro Caetano para a Unidade de Emergência Dr. Daniel Houly, em Arapiraca, em estado gravíssimo, Pedro faleceu em 5 de janeiro de 2021, trinta dias após muito sofrimento em uma UTI,  em decorrência deste ato de irresponsabilidade e a consequente falta de eficácia da legislação vigente.

Esta é mais uma história que faz parte do dia a dia do brasileiro. Várias campanhas preventivas são feitas sem nenhum sucesso.

Este crime só vem aumentando ano a ano.

Só em Maceió, Alagoas, houve um aumento de 600% nas autuações de motoristas sob o efeito de álcool.

As nossas leis de trânsito não são suficientemente eficientes e eficazes.

Estamos unidos em favor das vítimas da irresponsabilidade de motoristas que dirigem seus automóveis sob o efeito de BEBIDAS ALCOÓLICAS, provocando acidentes e tirando vidas de pessoas vítimas da ineficácia das nossas leis.

Precisamos mudar esta situação, com o endurecimento da legislação em vigor, que já está provado que não punem, com o devido rigor, estes condutores criminosos.

A luta é pela criação de leis que assegurem realmente a justiça e a responsabilidade. Rondon Caetano, pai da vítima fatal, quer que a lei seja mais dura para crimes como esse; “Para esses casos, precisamos de uma lei para caracterizar esses acontecimentos em CRIME HEDIONDO. Leis mais duras se fazem necessárias para a tomada de consciência da sociedade, e a devida punição para quem não tem o menor respeito pela sua própria vida, e muito principalmente, pela vida de inocentes como Pedro Caetano e milhares de brasileiras e brasileiros”, finalizou.



Compartilhe