Política

E agora, José, para onde?


Carlo Bandeira
Fonte: Redação

06/05/2021 15h24

 

A covid19 coloca no mesmo patamar o rico, o milionário, a classe média, o pobre e os flagelados sobreviventes.
Quem conseguiu essa façanha? Não foi a esquerda; os comunistas, tampouco os socialistas, que sonham bravamente com a igualdade entre classes sociais de um país. A mesma esquerda que paga até hoje, por sua incompetência de não estratificar suas ações programáticas para a população, quando governo. E isto não é fazer propaganda, só.
Hoje, um governo de direita como se intitulam, desgovernado ladeira abaixo, com a sua negação intransigente que, além de destruir esperanças, faz questão de burlar a condição divina de viver, por eles próprios tão glorificada, conseguiu a proeza de igualar tudo. Quem tem ou quem não tem condição economicamente favorável, está morrendo com as mesmas malevolências da covid-19. Seja em hospital particular ou em uma enfermaria do sistema público de saúde. Tá pau a pau, tudo no mesmo patamar. Claro que o aparato técnico e tecnológico da rede particular de saúde é tido superior ao aparato da rede pública. Daí vem a meritória fama de milagreira do nosso SUS. O SUS que hoje é nosso SUS, antes, nem queiram saber o que dizíamos dele. 
A morte de notáveis personalidades artísticas, políticas, culturais, entes queridos, amigos, amigas, colegas, ricos ou pobres, faz-nos crer em castigo ou sina. Pois, morrer de uma gripezinha em hospitais monumentais, tanto quanto em uma enfermaria do SUS, é possibilidade igualmente para todos, e justifica a reverência que devemos a este sistema falido de saúde pública. Mas, não é ao sistema que me refiro, se me faço entender. Dedicamos este carinho a todos e todas as profissionais de saúde do combalido SUS. Hoje sabemos o seu valor.
E devemos reconhecer, também, que essa paridade na morte de abastados ou oprimidos, alguns coadjuvantes, com certeza, estão repensando seus apoios a essa direita, mesmo com a honrosa conquista histórica de igualdade entre classes sociais.
Mas isso, tudo isso vai passar. Só não vai passar esta conquista; alcançar a igualdade entre ricos e pobres, objeto secular não alcançado pela “esquerda” mundial. Esquerda, aqui, é como essa direita reconhece todas as tendências políticas que não concebam suas prosopopeias.
Essa conquista se consolida a cada personalidade notória que morre vitimada pela covid, já que a morte das personalidades desnutridas de fama não comove muito.
...E gora, José, para onde vamos?


Compartilhe