Política

Steve Bannon diz que Lula é o esquerdista mais perigoso do mundo



13/09/2021 11h00

Steve Bannon, o marqueteiro e inventor de Donald Trump, orquestrador do maior gabinete do ódio do planeta, afirmou que a eleição brasileira de 2022 será “a mais importante de todos os tempos na América do Sul”. Nela, “Jair Bolsonaro enfrentará Lula, o esquerdista mais perigoso do mundo. Um criminoso e comunista”, disse ele.

Bannon afirmou, de acordo com a coluna de Elio Gaspari, na folha deste domingo (12), que Bolsonaro vai ganhar, a não ser que eleição seja roubada pelas, adivinhem só: as máquinas.

Logo a seguir, Gaspari recordou o episódio recente envolvendo Jason Miller: Agentes da Polícia Federal, com uma ordem emitida pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, detiveram Miller, cidadão norte-americano que era o braço direito do ex-presidente Donald Trump, quando ele embarcava num jato particular para deixar o país, nesta terça-feira (7), no aeroporto de Brasília.

Miller foi conduzido a uma delegacia da PF para prestar depoimento no inquérito instaurado no Supremo Tribunal Federal que investiga a organização e o financiamento dos atos antidemocráticos ligados a movimentos bolsonaristas. Ele é o dono da plataforma Gettr, criada para levar Donald Trump de volta às redes sociais depois de seu banimento do espaço cibernético, motivado pela enxurrada de fake news e ameaças de desestabilização divulgadas pelo antigo ocupante da Casa Branca.

A seguir, o jornalista recorda outro momento da intervenção branca dos americanos em uma eleição brasileira. No dia 30 de julho de 1962, o então presidente americano John Kennedy se reuniu com Lincoln Gordon, seu embaixador no Brasil. A certa altura, Gordon mencionou a importância da eleição brasileira daquele ano e propôs que se jogasse algum dinheiro na campanha. A cifra foi mencionada, mas ainda está embargada. Um biógrafo de Gordon diz que foram US$ 5 milhões (cerca de US$ 45 milhões em dinheiro de hoje).

Fonte: Revista Fórum / Julinho Bittencourt



Compartilhe