Política

Vejos os deputados que votaram contra e a favor da PEC dos Precatóerios


Fonte: É Assim

10/11/2021 09h17

Em uma votação tensa, o plenário da Câmara dos Deputados manteve o trecho da PEC dos precatórios que altera a regra de cálculo do teto de gastos, que limita o avanço das despesas à inflação.

Para manter o novo cálculo do teto, o governo precisava colocar 308 votos. O placar ficou em 316 a 174 pela manutenção do texto do relator, deputado Hugo Motta (Republicanos-PB), depois de um trabalho intenso do governo para colocar o máximo de deputados votando. Foi o maior quórum das votações da PEC até agora: 492 parlamentares.

Sozinha, a mudança no teto de gastos ratificada pelos deputados abre um espaço de R$ 47 bilhões para gastos no Orçamento de 2022 sendo R$ 45 bilhões para o Poder Executivo. Para este ano, o espaço adicional seria de R$ 15 bilhões. Além de furar o teto de gastos, a PEC ainda institui o calote nos professores estaduais e municipais do País.

Votos dos alagoanos

O próprio presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que tem a prerrogativa do cargo de não ser obrigado a votar, pressionou o ‘sim’ para ajudar o governo. Com isso, todos os nove representantes federais de Alagoas votaram na noite desta terça (9).

Acompanharam o voto do presidente Arthur Lira os deputados Marx Beltrão (PSD-AL) , Nivaldo Albuquerq (PTB-AL), Pedro Vilela (PSDB-AL), Sergio Toledo (PL-AL) e Severino Pessoa (Republican-AL).

Todos, portanto, mantiveram seus votos do primeiro turno, assim como Isnaldo Bulhões Jr (MDB-AL) e Paulão (PT-AL), que como na primeira votação, rejeitaram a PEC. Ausente no primeiro turno, Tereza Nelma (PSDB-AL) também votou não.



Compartilhe