Política

“Quero voltar à presidência para o povo pobre ter seus direitos garantidos”, diz Lula no bairro de Jaraguá, em Maceió


Fonte: Nigel Santana / Rívison Batista / Thayanne Magalhães

18/06/2022 07h59

Na noite desta sexta-feira (17), o ex-presidente Lula (PT) participou de ato público no bairro de Jaraguá, no Centro de Convenções de Maceió. Por volta das 16 horas desta sexta, centenas de apoiadores já lotavam o local aguardando a chegada do ex-presidente e candidato à presidência da República. Também teve protesto de opositores do lado de fora do Centro de Convenções, onde algumas pessoas se manifestaram com faixas contra a visita de Lula. Lula está acompanhado do ex-governador de São Paulo e pré-candidato a vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB). Também acompanham a agenda de Lula em Maceió o senador Renan Calheiros, o ex-governador Renan Filho e o governador Paulo Dantas. “Quero voltar à presidência para o povo pobre ter seus direitos garantidos”, afirmou Lula.

O ex-presidente discursou para os apoiadores durante o evento. "A razão pela qual eu estou voltando é porque eu quero provar para essa elite perversa que esse país tem jeito. Esse país não precisa ter desemprego, fome, desnutrição, analfabetos, não pode ter o desprezo que tem com o povo pobre", afirmou Lula, sendo sucedido por aplausos de quem o ouvia.

Continuando a fala, o petista disse que a motivação para querer o retorno à presidência era porque possui um objetivo social para o povo brasileiro. "Eu quero voltar aos 76 anos porque eu tenho uma causa. O cidadão com esse objetivo não pode ficar velho e eu tenho certeza que, em 4 anos, a gente vai fazer o povo ser feliz novamente. É preciso economia crescer, gerar emprego, trabalhador tendo direito, segurança social, que é o que falta nesse país", afirmou, no Centro de Convenções.

Lula tocou em assuntos da atualidade brasileira, como a fome e a extrema dificuldade financeira que voltaram a afligir milhares de cidadãos pelo Brasil. "Eu quero voltar porque eu quero provar que o brasileiro não precisa ficar no açougue comendo osso. Vai voltar a comer carne de qualidade, a comer peito de frango e não pé e pescoço. A gente tinha acabado com a fome. As pessoas estavam comendo, trabalhando. Por que isso voltou?", questionou o ex-presidente.

lulaEvento com Lula reuniu centenas de pessoas no Centro de Convenções - Foto: Edilson Omena


Vice e Governo de Alagoas

O candidato a vice-presidente, Geraldo Alckmin, discursou para os apoiadores e afirmou que o governo de Lula criou cerca de 22 milhões de empregos com carteira assinada. Também ressaltou que o ex-presidente criou institutos federais, universidades e melhorou a saúde brasileira.

"Durante a pandemia, o Brasil teve cerca de 10% das mortes por Covid-19. Foi negada a vacina para o povo. O Governo Lula foi o governo das farmácias populares, do [programa] Mais Médicos, do avanço em todas as áreas", disse Alckmin.

Na sua fala, o ex-presidente Lula enalteceu o governo de Renan Filho em Alagoas, afirmando que "Renan Filho provou que Alagoas tinha jeito".

"Alagoas é motivo de orgulho para o país. Alagoas tem estradas melhor do que as de São Paulo hoje. É um fenômeno do Nordeste", disse.

Sobre Bolsonaro

No seu discurso no Centro de Convenções, Lula afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (PL) estimula a desavença no país.

"Esse país precisa voltar a falar de amor, de fraternidade. Não pode ter um presidente que prefere incentivar a compra de armas do que livros, que nunca se reuniu com governadores e prefeitos, que brinca de jet ski enquanto tem gente passando fome", falou Lula.

“Quero voltar à presidência para o povo pobre ter seus direitos garantidos”, diz Lula no bairro de Jaraguá, em Maceió

Centenas de apoiadores do ex-presidente o esperaram do lado de fora do local

Por Nigel Santana / Rívison Batista / Thayanne Magalhães17/06/2022 20h36 - Atualizado em 17/06/2022 21h54
“Quero voltar à presidência para o povo pobre ter seus direitos garantidos”, diz Lula no bairro de Jaraguá, em MaceióLula durante discurso no Centro de Convenções - Foto: Thayanne Magalhães

Na noite desta sexta-feira (17), o ex-presidente Lula (PT) participou de ato público no bairro de Jaraguá, no Centro de Convenções de Maceió. Por volta das 16 horas desta sexta, centenas de apoiadores já lotavam o local aguardando a chegada do ex-presidente e candidato à presidência da República. Também teve protesto de opositores do lado de fora do Centro de Convenções, onde algumas pessoas se manifestaram com faixas contra a visita de Lula. Lula está acompanhado do ex-governador de São Paulo e pré-candidato a vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB). Também acompanham a agenda de Lula em Maceió o senador Renan Calheiros, o ex-governador Renan Filho e o governador Paulo Dantas. “Quero voltar à presidência para o povo pobre ter seus direitos garantidos”, afirmou Lula.

O ex-presidente discursou para os apoiadores durante o evento. "A razão pela qual eu estou voltando é porque eu quero provar para essa elite perversa que esse país tem jeito. Esse país não precisa ter desemprego, fome, desnutrição, analfabetos, não pode ter o desprezo que tem com o povo pobre", afirmou Lula, sendo sucedido por aplausos de quem o ouvia.

Continuando a fala, o petista disse que a motivação para querer o retorno à presidência era porque possui um objetivo social para o povo brasileiro. "Eu quero voltar aos 76 anos porque eu tenho uma causa. O cidadão com esse objetivo não pode ficar velho e eu tenho certeza que, em 4 anos, a gente vai fazer o povo ser feliz novamente. É preciso economia crescer, gerar emprego, trabalhador tendo direito, segurança social, que é o que falta nesse país", afirmou, no Centro de Convenções.

Lula tocou em assuntos da atualidade brasileira, como a fome e a extrema dificuldade financeira que voltaram a afligir milhares de cidadãos pelo Brasil. "Eu quero voltar porque eu quero provar que o brasileiro não precisa ficar no açougue comendo osso. Vai voltar a comer carne de qualidade, a comer peito de frango e não pé e pescoço. A gente tinha acabado com a fome. As pessoas estavam comendo, trabalhando. Por que isso voltou?", questionou o ex-presidente.

lulaEvento com Lula reuniu centenas de pessoas no Centro de Convenções - Foto: Edilson Omena


Vice e Governo de Alagoas

O candidato a vice-presidente, Geraldo Alckmin, discursou para os apoiadores e afirmou que o governo de Lula criou cerca de 22 milhões de empregos com carteira assinada. Também ressaltou que o ex-presidente criou institutos federais, universidades e melhorou a saúde brasileira.

"Durante a pandemia, o Brasil teve cerca de 10% das mortes por Covid-19. Foi negada a vacina para o povo. O Governo Lula foi o governo das farmácias populares, do [programa] Mais Médicos, do avanço em todas as áreas", disse Alckmin.

Na sua fala, o ex-presidente Lula enalteceu o governo de Renan Filho em Alagoas, afirmando que "Renan Filho provou que Alagoas tinha jeito".

"Alagoas é motivo de orgulho para o país. Alagoas tem estradas melhor do que as de São Paulo hoje. É um fenômeno do Nordeste", disse.

Sobre Bolsonaro

No seu discurso no Centro de Convenções, Lula afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (PL) estimula a desavença no país.

"Esse país precisa voltar a falar de amor, de fraternidade. Não pode ter um presidente que prefere incentivar a compra de armas do que livros, que nunca se reuniu com governadores e prefeitos, que brinca de jet ski enquanto tem gente passando fome", falou Lula.



Compartilhe